segunda-feira, 27 de maio de 2013

Workshop de Aplicação de Rebocos de Barro_14 Junho 2013_Embarro

Workshop de Aplicação de Rebocos de Barro 
dia 14 de Junho 2013, no Sítio dos Barrabés, 
8150 São Brás de Alportel








Embarro/ CasaDaCor
mail: info@casadacor.com / embarrosb@gmail.com
telf: +351 289 845 032 / +351 918 888 222

SEMINÁRIO Conservação e durabilidade de revestimentos histórico_LNEC 29-30 de maio de 2013_Lisboa

SEMINÁRIO "Conservação e durabilidade de revestimentos históricos - técnicas e materiais compatíveis"
_LNEC 29-30 de maio de 2013, Lisboa

http://www.lnec.pt/congressos/eventos/pdfs/sem_limecontech.pdf

Workshop Construção em Taipa_07-10 Jun 2013_Aljezur

CONSTRUÇÃO EM TAIPA
ALJEZUR - 07, 08, 09 e 10 de Junho 2013
http://www.arqcoop.com/construcao-em-taipa/
Só falta 1 inscrição para confirmar!!!












Fotos da edição anterior Novembro 2012)












terça-feira, 21 de maio de 2013

Construção em taipa_Serpa, Alentejo
© Pedro Parente João

segunda-feira, 20 de maio de 2013

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Seminário_"O Património Cultural Construído Face ao Risco Sísmico"_16/05/2013_Lisboa

Seminário "O Património Cultural Construído Face ao Risco Sísmico"
16 de maio de 2013
14:00 - 18:30
Museu Nacional de Etnologia,
Av. ilha da madeira, Lisboa

ENQUADRAMENTO
Os sismos que todos os anos assolam diversas regiões do planeta, têm, frequentemente, consequências catastróficas não só em perdas de vidas humanas mas também em termos de destruição do edificado e da infraestrutura necessária ao bem-estar das populações e ao normal funcionamento da economia.
O impacto dos grandes sismos faz-se também sentir sobre o Património Cultural das regiões atingidas, provocando perdas irreversíveis, como demonstram, em anos recentes, as destruições ocorridas na cidadela de Bam, no Irão, ou na basílica de S. Francisco de Assis, em Itália.
Em Portugal, são conhecidas as destruições de bens culturais de grande importância, tanto imóveis como móveis, provocadas pelo grande sismo de 1755 e pelo incêndio que se lhe seguiu.
Para além de centena e meia de edifícios religiosos e da maior parte do respectivo recheio, perdeu-se a biblioteca real e os seus mais de 70 000 livros, e, num único dos cerca de cinquenta palácios destruídos, perderam-se 200 quadros de pintores famosos, incluindo Rubens e Ticiano, uma biblioteca de 18 000 livros e cerca de 1 000 manuscritos.
Sendo o risco sísmico uma realidade em Portugal, em particular na sua metade sul, faz todo o sentido promover, junto dos técnicos e responsáveis portugueses, uma reflexão sobre esta temática e, em particular, sobre as medidas que podem ser postas em prática para reduzir a perigosidade representada pelos sismos para o património cultural.
Para tal, constitui um excelente pretexto a recente conclusão do projeto de I&D de âmbito europeu, “NIKER”, que teve por objectivo desenvolver e validar estratégias, metodologias, tecnologias e materiais para melhorar o comportamento dos monumentos e edifícios históricos face à ação sísmica, tendo em vista mitigar, de modo fiável e economicamente eficiente, os danos potenciais causados por um sismo intenso ao património cultural construído europeu.
Foi neste contexto, e ao abrigo do protocolo de colaboração celebrado em 2006, que o GECORPA - Grémio do Património e a Direção-Geral do Património Cultural decidiram organizar conjuntamente o presente seminário de divulgação.
No seminário estão representadas a Universidade de Pádua (entidade coordenadora do projecto) e as duas entidades portuguesas que participaram no projecto (a Universidade do Minho e a empresa Monumenta, Ld.ª), na sequência de uma candidatura apoiada em Portugal, desde o início, pelo GECoRPA – Grémio do Património.
Link para + informação aqui 

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Koichi Kurita_Japan


"There are unlimited colors in soil caused by the complex combinations of various forms of life."
Koichi Kurita_Japan






















SOIL LIBRARY / NIIGATA (2012)
The soil we harden with our footsteps has a characteristic color of particular area. Soil collected from all over Niigata Prefecture - from rice fields, farmland, cliffs; and so on - is dried and sifted, and plant roots, stones and pebbles are carefully removed. When this is done, the soil starts to show its more vivid colors - red, blue, purple, yellow, beige, orange, brown, jet black.
In 1988, artist Koichi Kurita was in the middle of a trip through Asia when he picked up a handful of the soil at his feet. On returning home, he looked at the soil of Japan with new eyes and found it be as beautiful as a rainbow. In the early '90s he began a project to collect soil from all over the Japanese archipelago. Soil is not only made up of inorganic substances, but also contains plants, animals, and even our own ways of life. It was soil that showed and taught Kurita in a visible form that we are part of the natural world. He has decided to take only a handful of each type of soil, because his desire has no limits. Like an ascetic monk copying sutras, he dispassionately collects soil from all over Japan. He objective is to collect soil from every city, town and village in the country. Currently, his stock contains over 30,000 types of soil.
In Hokkaido, it's white in the north and black in the east. In Tohoku region, pinks and greens appear, perhaps because of minerals. In Kanto region, it's almost always grayish brown and ocher. In the Tokai region it's much lighter - white and beige. As you go west from Kansai region, it's more vivid, with colors like red and orange. In Shikoku region there are many stones, making the soil hard to collect, but one finds blues in unexpected places. In Kyushu region, there's even purple soil - due, perhaps, to activity of old volcanoes. This is the way in which Kurita, who has traveled the globe, reveals "the world's diversity" from the perspective of soil.
The color of soil is affected by its components, by average temperature, precipitation, changing seasons, vegetation, and the activity of hot spreeings and volcanoes. It is also changed by human activity. You could also say that human activity is affected by the soil.
When people paint pictures, they have a strong tendency to use brown paint for the ground. Standing in front of this work, we understand that the reality is different. Japan's natural beauty could not be fully expressed even with 12 colors of paint. It's these fine, smooth, sigh-inducingly beautiful particles of soil that tell us this is true.























2012 Artwork Catalog Echigo-Tsumari Satoyama Museum of Contemporary Art [KINARE]



























Bunbu School of Matsushiro (Nagano, Japan)

Photo:Koichi Kurita, Kazuko Kurita
YouTube (1)
YouTube (2)
YouTube (3)
Fonte: http://soillog.exblog.jp