quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Workshop de Construção em Taipa_Aljezur_05 a 09 Outubro 2011



Workshop de Construção em Taipa_Aljezur_05 a 09 Outubro 2011


O ArquitecturasdeTerra, em parceria com a ARQCOOP e a A-RSF (associação dos restauradores sem fronteiras), vai organizar em Aljezur, nos dias 05 a 09 de Outubro de 2011, um workshop prático de recuperação de estruturas em taipa!


Intervindo numa construção existente em ruína, pretende-se que os participantes explorem e apreendam os conceitos teóricos implementando em obra as ferramentas práticas associadas à recuperação de uma construção com terra crua.


O alojamento, o convívio, a boa disposição e a partilha de conhecimentos estão garantidos, o sol do Algarve, a proximidade da praia...e claro a taipa, serão apenas alguns dos muitos motivos para participar!!


Aqui fica para todos informação mais detalhada sobre o Workshop:


CALENDARIZAÇÃO E PROGRAMA:


05 de Outubro (4.ª Feira, das 17h00 às 18h30):


- Recepção dos participantes e distribuição de informação;

- Introdução, especificidade, diversidade e universalidade da construção com terra;

06 de Outubro (5.ª Feira, das 09h00 às 17h00):


- Preparação da ruína;


- Identificação, análise e ensaios de solos para construção;


- Reconstrução de paredes em taipa.


07 de Outubro (6.ª Feira, das 09h00 às 17h00):


- Continuação do dia anterior.


08 de Outubro (Sábado, das 09h00 às 17h00):


- Continuação do dia anterior.


Neste dia, o workshop de Construção em Taipa vai contar com a presença da empresa EMBARRO , especialista em rebocos em barro.


09 de Outubro (Domingo, das 10h00 às 13h00):


- Avaliação do trabalho efectuado e revisão de conceitos;


- Conclusão do workshop.


04. Os participantes devem levar:


- roupa e calçado adequados ao trabalho em obra;


- chapéu e protector solar;


- prato, copo e talheres (tipo campismo) para almoço no local do workshop;


- toalha de banho e chinelos (para banho na Pousada da Juventude).


05. Material opcional:


- material de desenho;


- máquina fotográfica;


- fato de banho e toalha de praia;


- boa disposição! :)


06. O transporte entre o alojamento e o local onde a parte prática do workshop irá decorrer será efectuado com os veículos dos próprios formandos.


No primeiro dia será organizado um sistema de boleias, de modo a reduzir o número de veículos necessários e a distribuir os encargos entre os ocupantes de cada veículo.


07. A Pousada da Juventude da Arrifana tem cozinha de alberguista, pelo que os participantes podem cozinhar o seu próprio jantar. Existem alguns utensílios de cozinha (tachos, frigideiras, pratos, copos, talheres, etc.) mas, atendendo a que estarão mais hóspedes na Pousada, não se garante que os mesmos estejam disponíveis a todo o momento.


08. Na semana anterior ao workshop, será enviada a todos os inscritos a informação sobre os transportes públicos existentes, os itinerários possíveis a partir de Lisboa e de Lagos, a localização da Pousada da Juventude, o ponto de encontro no dia da recepção, o local onde a parte prática do workshop irá decorrer e outras informações que se julgue pertinentes.


INSCRIÇÃO:


300 € (Isento de IVA, ao abrigo do n.º 14 do artigo 9.º do CIVA.)


As inscrições são limitadas a 12 participantes.


O valor de inscrição inclui:


- documentação de apoio e entrega de Certificado de Frequência


- seguro de acidentes pessoais


- alojamento Pousada da Juventude da Arrifana


- almoços dos dias 06, 07 e 08 de Outubro


- jantar de despedida no 09 de Outubro


Podem aceder aqui ao Programa e aqui à Ficha de Inscrição.


Toda a informação em www.arqcoop.com.


Para se inscreverem contactem já a ARCOOP pelo telefone 210 107 840 ou o e-mail arqcoop@gmail.com


Não deixe a sua inscrição no workshop de Construção em Taipa para a última hora!!! INSCREVA-SE JÁ!!


Actividade formativa validada pela Ordem dos Arquitectos, permite a obtenção de 8 créditos para efeitos da formação complementar ao estágio profissional.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

European Network of Earth Builders

In the meeting on 6th May 2011 in Marseilles it was decided to launch a European Network of Earth Building.


In the first phase this will be an informal knowledge network, using electronic (email and website) methods to communicate. In the early stage of development membership of the email list is free.


This will use the existing national networks and organisations already identified through the Terra Incognita project.



Lors de la rencontre du 06 mai 2011 à Marseille, il a été décidé de lancer un réseau européen des acteurs de la construction en terre.


Dans un premier temps, soit les prochains mois ou pour sa première année d’existence, on parlera d’un réseau informel de connaissance, utilisant des moyens électroniques de communication (site internet et courriels).


Il s’organisera sur base des réseaux nationaux existants et des organisations déjà identifiées au travers du Projet Terra Incognita.



fonte: http://earthbuildingeurope.wordpress.com/


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Documentário_Neste Chão Tudo Dá_parte2


Documentário_Neste Chão Tudo Dá _parte1


Excelente documentário, realizado por Felipe Pasini, que permite conhecer melhor o trabalho desenvolvido por Ernst Gotsch, na área da Agrofloresta.



“A agrofloresta (ou floresta de alimentos) é um método de produção que propõe, não a criação de um novo ambiente produtivo, mas que o homem, e a produção agrícola da qual tira proveito, integrem um ambiente florestal.


Uma floresta é um organismo vivo. É uma rede interdependente de seres que cooperam para gerar cada vez mais recursos, mais vida, mais complexidade e mais biodiversidade. Trata-se de uma entidade em constante transformação em que o todo é maior do que a soma das suas partes. Cada ser tem uma função específica e o seu papel é indispensável para a saúde de todo o sistema.


A agricultura deixa assim de ser uma agro-mineração que, ao sugar recursos, promove a degradação dos solos e se torna dependente da aplicação de químicos poluentes. Torna-se num processo regenerativo com uma grande capacidade produtiva de uma vasta gama de produtos alimentares e florestais. Promovendo ecossistemas cada vez mais férteis e abundantes é capaz de recuperar solos totalmente degradados em curtos espaços de tempo.


É uma prática agrícola de carácter micro regional, e por isso capaz de dinamizar economias locais e de vizinhança. Uma vez que se evitam todo o tipo de fertilizantes, pesticidas, herbicidas, maquinaria pesada e tarefas de mão-de-obra intensiva, esta prática é orientada para pequenos produtores e ideal para uma lógica de auto-sustentabilidade.


O método é, na sua essência, uma tentativa de imitar a natureza. Na natureza a maioria das plantas vive em associação com outras espécies, das quais necessita para um crescimento pleno. Estas associações, ou consórcios, sucedem-se de forma dinâmica e contínua, processo a que se chama Sucessão Natural. Estas são as forças motrizes que asseguram a saúde das plantas e dos solos.”


fonte: www. sitiocoop.com



“O nascimento de cada ser vivo, a sua força de crescer, de frutificar, de criar o próximo a seguir, de completar o processo de amadurecimento tendo no final a morte, ou melhor dizendo, a transformação em outras formas de vida – tudo isso faz parte do metabolismo do macro-organismo Mãe Terra.


A sucessão natural das espécies é o pulsar da vida, o veículo em que a vida atravessa o espaço e o tempo.


A partir dessa sabedoria, podemos adivinhar o modo de trabalhar e as ferramentas para uma futura agricultura – cultura – que não se tornará mais uma exploração e mineração, como são as práticas dominantes da agricultura moderna. Concretamente, isto significa que eu, como agricultor, só posso fazer uma intervenção na minha plantação quando eu souber que o resultado da actividade planeada será um balanço energético positivo, como aumento da vida e favorecimento dos processos de sucessão.”


Ernst Gotsch











terça-feira, 9 de agosto de 2011

Cinema Sil Plaz, Switzerland_Capaul & Blumenthal Architects


"Over two decades ago, the last cinema closed in Ilanz, an Alpine town in the Swiss canton of Graubünden. To satisfy the locals' cinephile needs, a group of people interested in film and culture formed the Filmclub Ilanz in 1989 and, after staging screenings in makeshift locations (including the town hall), they had a stroke of luck in 2004 in the shape of a 19th century former forge, which had just become vacant. After several years of screenings, they decided to revamp the space, with the help of fellow club members Capaul & Blumenthal Architects, to create a fully fledged cinema, which opened last September.


Photography: Bruno Augsburger and Laura Egger


The ETH Zurich graduates have retained the raw character of the building, creating a cosy screening room and bar on a shoestring.
Using local clay and a rammed earth construction method - a sustainable, low-tech building technique with sound-proofing benefits - the project was completed with the help of members of the Filmclub, who also conveniently included a rammed-earth specialist and a stonemason. Seating in the auditorium is padded by sheep-skin covered cushions stuffed by Filmclub members. Meanwhile, paint on the walls of the bar and stage area has been stripped back to reveal the original lime plasterwork of the building and floors are kept bare. The bar itself can be lifted by a manual forklift to make space for a dance floor when there are concerts - just one part of the Cinema Sil Plaz's rich programme of events."




Photography: Bruno Augsburger and Laura Egger