segunda-feira, 11 de maio de 2009

Água e Argila_Construção com Terra

A água _Principal ligante da terra

O elemento H2O água tem um papel essencial na aptidão da terra como material de construção. É ela que reforça a sua coesão e aumenta decisivamente a interacção entre as partículas de argila.
Na verdade, uma parede em terra nunca está completamente seca, e ainda bem, ao contrário do que se possa pensar. Ela contém sempre água entre as argilas.
Uma água que não se evapora, uma vez que se encontra em equilíbrio com a humidade relativa do ar envolvente. Neste estado de equilíbrio hídrico, a terra contém no seu interior cerca de 2 a 3 % de humidade (variável). Isto é equivalente a aprox. 16 litros de água para uma parede de 3 metros e 50 cm de espessura. Sem esta água seria impossível construir a parede em terra, esta desagregar-se-ia, devendo-lhe por isso grande parte da sua coesão e a sua forma de sólido coerente e estável.
Neste sentido, os testes de teor de água na terra para taipa são interessantes porque mostram que as suas propriedades variam significativamente com as variações na percentagem de água. Ao examinar os diferentes estados da terra, da sua transição de seco para molhado, percebemos, por exemplo, que um ligeiro aumento na quantidade de água induz rapidamente a transição do estado plástico para o líquido.
Por outro lado, algumas regras de composição granular podem também ter impacto na coesão da terra. Se, ao adicionarmos água, também incluirmos elementos como areia ou cascalho, esta estabilização permite controlar a fissuração do material.

Foto de Caulinite realizada com microscópio de scan electrónico.

Neste sentido é importante perceber a Argila e a sua relação com a água.
Os Grãos de argila, pela sua pequena dimensão e forma, estão sujeitos a forças capilares muito mais elevadas do que os outros grãos, maiores e arredondados.
Estes diferem dos outros componentes da terra, não só em tamanho, mas também pelas formas microscópicas lamenlares que lhes dão uma massa insignificante comparada com a sua superfície. Nestas micro-lamelas, as propriedades superficiais são determinantes, e na presença da água, as suas propriedades macroscópicas, como a plasticidade e a coesão ganham presença.



Esquema da ligação da argila e água entre grãos de areia

Depois a compressão da terra faz o resto.

A resistência da terra está directamente relacionada com seu grau de compactação quando é comprimida por um determinado esforço. Para cada tipo de solo e para cada esforço de compactação existe uma determinada humidade, denominada humidade óptima de compactação, na qual ocorrem as condições em que se pode obter a melhor compactação, ou seja, a maior massa específica seca.

Nestas condições, o solo apresenta também menor porosidade, caracterizando-se assim num material com maior durabilidade e maior resistência mecânica.
A humidade óptima de compactação pode ser determinada em laboratório através da medição da massa específica do solo sujeito a diferentes humidades, compactado num determinado molde (cilindro de Proctor).

As massas específicas são representadas em gráfico, em função da humidade, e a sua massa específica máxima, obtida na curva, define a humidade óptima de compactação do solo específico (ver gráfico).


Selecção de Solos e Métodos de Controle em Construção com Terra - Práticas de Campo_Proterra

Por tudo isto, dizem os conhecedores, e com razão, que na construção em taipa estamos a fazer pedra num curto espaço de tempo, aquilo que a Natureza leva séculos a criar.

1 comentário:

Anónimo disse...

Importante seria a publicação dos diferentes tipos de solos em locais distintos e a respectiva quantidade de agua utilizada na preparação da terra e características de compactação - quantidades de batidas por centímetro quadrado medida no taipal.
Arq. Antonio Cruvinel São Paulo - Brasil