sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Dissertação Mestrado_Desenvolvimento e caracterização de argamassas de cal aérea e terra_Naila Jamú

Dissertação para obtenção do Grau Mestre em Engenharia Civil – Perfil de Construção
_Naila Sofia Pereira Jamú
Licenciada em Ciências da Engenharia Civil
Desenvolvimento e caracterização de argamassas de cal aérea e terra_A influência da terra como ligante
Orientadora: Maria Paulina Faria Rodrigues, Professora Associada, 
Faculdade de Ciências e Tecnologias da Universidade Nova de Lisboa

‘Copyright” Naila Sofia Pereira Jamú, FCT/UNL e UNL 

RESUMO
As argamassas são muito importantes na reabilitação devido às suas múltiplas utilizações e têm de apresentar características compatíveis com os suportes. Os factores negativos que têm vindo a ser descobertos relativamente ao uso do cimento estão a incentivar o estudo de materiais mais tradicionais e também mais sustentáveis. A incorporação de terra argilosa nas argamassas de cal aérea insere-se numa vertente ainda sistematicamente pouco conhecida e a necessitar de trabalhos de investigação, que pode potenciar particularmente a sua aplicação na reabilitação e em construções de terra.
No presente estudo foram formuladas cinco argamassas distintas, partindo de um traço volumétrico 1:2, com diferentes percentagens de incorporação de terra argilosa como substituição parcial do ligante (cal aérea). Realizaram-se caracterizações às argamassas no estado fresco e no estado endurecido, após cura em condições de referência em laboratório com aspersão nos primeiros 4 dias de idade, em provetes correntes de argamassa e em aplicações sobre tijolo. A argamassa de referência sem terra e uma das argamassas com terra foram também aplicadas e ensaiadas num murete de taipa previamente caracterizado. Os ensaios decorreram, na generalidade, aos 90 dias de cura, mas as aplicações em suporte de tijolo também foram ensaiadas aos 28 dias de cura.
Observou-se que pequenas quantidades de terra argilosa melhoram a trabalhabilidade e aplicabilidade das argamassas e, para além de vantagens ecológicas e económicas, trazem vantagens em termos de resistências, em relação à argamassa de referência de cal aérea. A condutibilidade térmica é afectada negativamente mas há melhorias na absorção de água (capilar e sob baixa pressão). 

Verificou-se também que quantidades muito elevadas de terra argilosa comprometem o comportamento das argamassas em relação à maioria dos parâmetros estudados.

http://run.unl.pt/bitstream/10362/10256/1/Jamu_2013.pdf

Sem comentários: